MEDIAÇÃO E A COMUNICAÇÃO CONSTRUTIVA COMO FORMA DE RESOLUÇÃO E PREVENÇÃO DE CONFLITOS

Ricardo Vilariço Ferreira PINTO

Resumo


A diversidade social e econômica que caminha a humanidade, atrelado a outros efeitos que amoldam sua personalidade e a forma de enfrentar os problemas do dia-a-dia fazem com que o dialogo seja esquecido, o ódio e narcisismo amoldem completamente a conduta do cidadão. Quando essa personalidade encontra-se ameaçada por outras pessoas que também estão neste estado de animosidade à solução está em socorrer-se à tutela jurisdicional do Estado. O acesso (i) limitado à justiça está sendo a principal problemática enfrentada pelo judiciário, sobrecarga de processos e a falta de estrutura para atender as pretensões, mostram a necessidade de repensar no futuro da Administração da Justiça. Desta forma, a autocomposição vem sendo uma alternativa, tendo a mediação e a comunicação construtiva instrumentos hábeis para sanar determinados litígios, estabelecendo a comunicação como ponto central e a capacidade decisória das partes, sem intervenção estatal.


Palavras-chave


Alternativas à Jurisdição. Comunicação Construtiva. Justiça Consensual.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em:. Acesso em 20 nov. 2017.

_______. Código de Processo Civil. Disponível: . Acesso em: 20 de nov. 2017.

_______. CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA. Resolução no. 125, de 29 de novembro de 2010. Dispõe sobre a Política Judiciária Nacional de tratamento adequado dos conflitos de interesses no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. Disponível em . Acesso em 29 nov. 2017.

VASCONCELOS, Carlos Eduardo de. Mediação de conflitos e práticas restaurativas. 3 ed.rev., atual. e ampl. Rio de Janeiro: Forense; São Paulo: Método, 2014.

DE MORAIS, J.L.B.; SPENGLER, F.M. Mediação e arbitragem: alternativa à jurisdição. Porto Alegre: Livraria do Advogado Editora, 2012.

DIAS, Maria Berenice; GROENINGA, Gisele. A mediação no confronto entre direitos e deveres. Revista dos advogados, São Paulo, no. 62, p. 59-63, mar. 2001.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

ISSN 2359-3474